17ª SEMANA DA COMPUTAÇÃO

julho 18, 2017

Diretor de startup diz que é possível prever decisões políticas através de inteligência artificial

É possível prever, com margem de acerto de até 90 por cento, quais posições governantes, deputados, senadores e até o Poder Judiciário tomarão em relação a políticas que afetarão empresas e também a vida social? O diretor de Tecnologia da startup Dado Capital, Carlos Eduardo Novinho, responde a essa questão afirmando que é perfeitamente possível desvendar e antecipar quais serão as prioridades políticas em uma região ou no país, por meio do uso da tecnologia de inteligência artificial para gestão de risco regulatório.

O especialista em tecnologia e embaixador da @Startup Farm, realizou, na manhã desta segunda-feira, às 9h15, na abertura da 17a Semana da Computação, a primeira palestra de recepção aos feras dos cursos de Ciência da Computação, Engenharia da Computação e Matemática Computacional do Centro de Informática (CI) da UFPB.

  

Para um público que lotou o auditório da unidade de ensino, em Mangabeira, Carlos Eduardo Novinho, que se graduou no CI, relatou sua experiência profissional em diversas startups, dentre elas a Dado Capital, que desenvolve ferramentas de acompanhamento das atividades dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário.

Conforme assegurou, um dos focos de atuação da startup Dado Capital é antecipar para seus clientes as mudanças regulatórias, prevendo a chance de aprovação e o tempo hábil para ação, através de ferramentas computacionais avançadas como Modelagem Comportamental Dinâmica, Redes Neurais e Machine Learning.

Em mais de uma hora de palestra, abordando o tema “Aprendendo e Empreendendo”, ele afirmou que para atingir os resultados esperados nessa área, além da tecnologia é necessário que a startup tenha profissionais experientes em gestão analógica de risco regulatório, que farão o acompanhamento das atividades dos três poderes.

Durante sua palestra, Eduardo Novinho deu dicas aos estudantes que querem empreender no ramo da Computação, ressaltando que aquele que deseja criar uma startup em equipe deve, antes de tudo, estabelecer laços de confiança com seus parceiros. Em debate com os alunos ele falou das múltiplas habilidades que formam o perfil de um empreendedor no universo das startups.

Questionado sobre o potencial que João Pessoa apresenta no segmento das startups, ele observou que há um cenário muito promissor, porém falta mais confiança nos profissionais para empreender e também maior incentivo dos governos municipal e estadual.

A abertura da 17a Semana da Computação foi realizada ás 9h, com a presença do diretor do CI, Hamilton Soares, que, na ocasião, deu as boas-vindas aos novatos e apresentou a estrutura administrativa da instituição. Ele orientou os estudantes a procurarem a coordenação dos cursos para a solução de problemas relacionados a matrícula, revisões de provas, notas e outras questões.

  

A programação do turno da manhã contou, ainda, com mais duas palestras. O bacharel em Ciência da Computação, Fernando Brito e o estudante de Engenharia da Computação do CI, Lucas Lacerda, falaram sobre “Como sobreviver à graduação (e ainda se dar bem)”.

As vivências de Fernando Brito em programas de intercâmbio internacionais, em pesquisas, no desenvolvimento de aplicativos, além das experiências em outras atividades enriqueceram o relato desse alugo egresso do CI. Já Lucas Lacerda apresentou aos participantes alguns aplicativos e portais que desenvolveu, dentre os quais o aplicativo Meu horário, o projeto SIGAA e o portal do SISU, este último há dois anos.

Ambos ofereceram algumas dicas ao alunado, dando exemplos de como obter o melhor proveito do tempo dedicado à graduação no CI.

As atividades do turno da manhã foram encerradas com palestra do engenheiro de software Moisés Guimarães de Medeiros, abordando o tema “Embalando segredos com Phyton”.

A 17ª Semana da Computação vai até a próxima sexta-feira, 21, e a programação completa pode ser acessada no link: http://sdcufpb.com.br/

FONTE: Assessoria de Comunicação do CI