ACESSIBILIDADE “made in LAVID/UFPB” é exemplo para o mundo

setembro 14, 2018

Aplicativo VLIBRAS para surdos vence prêmio internacional na categoria “Sociedad Equitativa y Colaborativa” no México

 

A união entre ciência, tecnologia e trabalho colaborativo, em prol da inclusão social, rende mais um prêmio internacional à equipe do Núcleo de Pesquisa e Extensão Lavid, do Centro de Informática (CI) da UFPB.

Na quarta-feira, 12, em Puebla, México, os pesquisadores Guido Lemos e Rostand Costa receberam, em nome de todos os colaboradores do Lavid, o prêmio “LATAM Smart City Awards 2018″ na categoria “Sociedade Equitativa e Colaborativa”. O troféu foi entregue por Henrique Rodrigo Rubio, secretário de Finanças e Administração do Estado de Puebla.

O Lavid foi agraciado com esse prêmio porque desenvolveu o VLIBRAS, um conjunto de softwares que traduz texto, video e audio para a Língua Brasileira de Sinais e beneficia cerca de 10 milhões de cidadãos do Brasil com algum grau de deficiência auditiva.

O desenvolvimento desse conjunto de ferramentas tecnológicas de grande alcance social teve a a coordenação do professor Tiago Maritan , do Lavid/CI, que não pode comparecer à solenidade do evento, e dos professores Guido Lemos e Rostand Costa . A solução VLIBRAS concorreu com nada menos que 70 projetos sociais de toda a América Latina, sendo o grande vencedor na categoria “Sociedad Equitativa y Colaborativa” .

A premiação tem o objetivo de reunir e reconhecer os projetos de transformação mais inovadores da América Latina que tenham impacto favorável na inclusão, equidade, segurança, sustentabilidade e participação, em um esforço para melhorar a qualidade de vida dos cidadãos.

O prêmio foi anunciado durante o “Smart City Expo Latam Congress” que se encerra, nesta quinta-feira, 13, em Puebla. Durante o evento, uma tela projetou as funcionalidades do VLIBRAS para os participantes do congresso, além de mostrar o prédio principal do Centro de Informática (CI) e o Lavid, no campus de Mangabeira, e as belezas da orla marítima de João Pessoa.

 

PREMIADO EM 2016

Não é a primeira vez que o VLIBRAS obtém reconhecimento por sua importância para a melhoria da qualidade de vida de pessoas com surdez. Oficialmente intitulado “Suíte VLibras: Tradutor Automático de Conteúdos Digitais para Libras, em Código Aberto e Distribuição Livre” , arrebatou, em setembro de 2016, o prêmio Todos@web, na categoria Tecnologia Assistiva/Aplicativos. A solenidade aconteceu no Rio Media Center, Rio de Janeiro, e o prêmio foi recebido pelo coordenador do projeto, Tiago Maritan, e representantes da equipe de desenvolvedores.

 

VLIBRAS JÁ ULTRAPASSA 100 MIL DOWNLOADS

O Projeto VLIBRAS foi o resultado de uma parceria entre o Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, por meio da Secretaria de Informática (STI), a Rede Nacional de Pesquisa (RNP) e da Universidade Federal de Paraíba (UFPB), através do Lavid, e teve como resultado o desenvolvimento de um conjunto de ferramentas computacionais de código aberto, chamado Suíte VLIBRAS, responsável por traduzir automaticamente conteúdos digitais em português para a Linguagem Brasileira de Sinais (LIBRAS), tornando as informações disponíveis em computadores, dispositivos móveis e portais da Internet acessíveis para pessoas surdas.

O projeto ainda permitiu a criação de um dos maiores dicionários de sinais do mundo, com mais de 13.500 sinais LIBRAS, totalmente público e gratuito. Atualmente, o VLIBRAS é utilizado em vários sites governamentais e privados, entre eles os principais sites do governo brasileiro, Câmara dos Deputados e Senado Federal e já teve mais de 100.000 downloads das versões desktop e mobile.

Atualmente, o Lavid investiga a viabilidade de oferecer uma plataforma multilíngue para tradução de vários idiomas falados em várias línguas de sinais para cenários como Internet, TV Digital e Cinema. O novo projeto, chamado OpenSigns, tem como objetivo aproveitar o ferramental desenvolvido no VLIBRAS para ser usado com outras línguas de sinais, reduzindo o esforço, o tempo e o custo de desenvolvimento de ferramentas similares para outros países, o que pode aumentar ainda mais a inclusão digital e a acessibilidade.

TEXTO: Madrilena Feitosa (Assessoria de Comunicação do CI/UFPB) com colaboração da equipe Lavid.
FOTOS: Lavid/UFPB