“ASFALTO, NÃO ASSALTO”

setembro 5, 2018

Secretários da Prefeitura de João Pessoa vêm ao campus de Mangabeira para anunciar início da pavimentação do acesso à unidade acadêmica

 

A direção do Centro de Informática (CI) , do Centro de Tecnologia e Desenvolvimento Regional (CTDR) e a comunidade acadêmica recebem, nesta quarta-feira, 05, às 11h, a visita do secretário do Orçamento Participativo Municipal, Francisco José, e do secretário de Infraestrutura da capital (Seinfra), Cássio Andrade.

Eles se reúnem com os três segmentos da universidade para confirmar o dia em que a Prefeitura vai começar as obras de pavimentação da Avenida dos Escoteiros e da Rua Professor José Maria Barbosa Gomes, principais vias de acesso ao campus.

O encontro acontecerá no auditório do CI e, na ocasião, os representantes da administração municipal informarão, também, algumas ações que serão realizadas para viabilizar a obra, a exemplo da criação de um desvio para o tráfego de carros e motos, durante as etapas que vão da terraplenagem até a pavimentação asfáltica.

 

ASFALTO X ASSALTO

A pavimentação dessas vias esburacadas é uma antiga reivindicação dos estudantes, professores e servidores técnico-administrativos dos dois centros de ensino. De inverno a verão, uma comunidade de cerca de 1.500 pessoas trafega, diariamente, por esse trecho que se torna praticamente inacessível durante o período de chuvas.

A falta de pavimentação vem desencadeando uma onda de assaltos a estudantes, nos últimos meses, visto que as empresas de transporte coletivo não circulam nas ruas quase intransitáveis e os alunos são obrigados a pegar os ônibus em paradas um pouco distantes da unidade acadêmica. Com muita frequência vêm sendo registrados assaltos a alunos, quando esses se encontram nos pontos à espera do transporte coletivo.

Em agosto, mais de 10 alunos foram alvos da ação de bandidos na área, o que gerou uma onda de protestos dos estudantes, obtendo grande repercussão na imprensa e o apoio dos vereadores Marcos Henriques (PT), Sandra Marrocos (PSB), Humberto Pontes (Avante) e Fernando Milanez.

As manifestações aproximaram a Polícia Militar do campus, que agora incrementou as rondas na área e fez diminuir a incidência de assaltos, mas, apesar de todos protestos e demandas persistentes, tanto da direção do CI, do CTDR, quanto da comunidade, a pavimentação ainda estava no campo da promessas.

No dia 22 de agosto, o diretor de Obras da Seinfra, Bernar Braga, e o Engenheiro da Pasta, Breno Santos, em reunião com a direção do CI e com a reitora Margareth Diniz e equipe, asseguraram que a obra vai ser iniciada, ainda em setembro.

A primeira visita de um representante da Prefeitura para tratar da pavimentação aconteceu em 04 de maio, deste ano, quando o vice-diretor do CI, Lucídio Cabral, estudantes e servidores receberam o secretário do Orçamento Participativo Municipal, Francisco José, na sala de reuniões do CI, para solicitarem urgência na realização das obras. Ele garantiu empenho para que a obra fosse viabilizada, no máximo, em 2019.

Com a concretização da obra, a comunidade terá uma infraestrutura de acesso em padrão condizente com uma unidade de ensino, pesquisa e extensão de qualidade, que desenvolve tecnologia de última geração para o Brasil e para o mundo. Outra consequência positiva será a instalação de uma parada de ônibus na entrada do campus, o que deixará os alunos menos vulneráveis a assaltos e outras formas de violência. Assim, não precisarão mais retornar às ruas para entoar o bordão: “Asfalto, não assalto”.

Texto e fotos: Madrilena Feitosa (Assessoria de Comunicação do CI)