CI e CT/UFPB discutem cooperação técnico-científica com Grupo Elizabeth

fevereiro 18, 2019

A formalização de um futuro acordo de cooperação técnico – científica entre o Centro de Informática (CI) e o Grupo Elizabeth, um dos líderes mundiais em produção de porcelanato e revestimento cerâmico, foi discutida, na semana passada, em reunião da direção do CI com representantes da empresa.

O gerente industrial do grupo Elizabeth Cimentos, Degmar Peixoto Diniz, e o engenheiro de Processo do grupo Elizabeth, Vilmar Manoel da Silva, foram recepcionados pelo vice-diretor do CI, Lucídio Cabral, e, na unidade acadêmica, visitaram as instalações do Laboratório de Sistemas Embarcados e Robótica (Laser).

Durante a visita, os membros do grupo Elizabeth estiveram acompanhados do professor e assessor de Pós-graduação e Pesquisa do Centro de Tecnologia (CT) da UFPB, Sandro Marden, que, na ocasião, ressaltou que o Centro onde atual já vem desenvolvendo ações, em parceria com a empresa, e que, agora, esse intercâmbio será ampliado com a participação do CI.

O escopo dessa cooperação, agora acrescida com a entrada do CI, está sendo ainda delineado, mas a parceria tem como objetivo primordial promover o avanço do conhecimento, buscando a promoção de sinergias para a inovação e o enfrentamento dos desafios para o desenvolvimento regional, como salientaram os participantes do encontro.

Uma preocupação recorrente na UFPB e que foi destacada durante o encontro é a necessidade de intensificar o processo de transferência de tecnologias da academia para atender às demandas do mercado, através de uma sintonia que vai gerar mais empregos, aumento da renda per capita, refletindo no aumento do PIB, o Produto Interno Bruto.

O Grupo Elizabeth, com mais de 30 anos de atuação no mercado, está entre as 25 maiores empresas mundiais no segmento de revestimentos cerâmicos e responde por uma produção que supera 60 milhões de metros quadrados por ano.

Os representantes da empresa reforçaram a necessidade do Grupo Elizabeth de impulsionar seu crescimento com soluções tecnológicas que tragam mais eficiência energética e promovam maior sustentabilidade ambiental, pilares essenciais na sua política desenvolvimentista. Nessa perspectiva, se vislumbra um vasto campo de possibilidades de intersecção com os laboratórios de pesquisa da UFPB, no entendimento dos membros da empresa.

Para o vice-diretor do CI, a união entre os dois centros de ensino sinaliza o entendimento de que será muito viável canalizar parte do conhecimento científico e da expertise acadêmica para atender às demandas por inovação, oriundas da indústria de alta complexidade. Segundo Lucídio Cabral, a atual gestão do Centro de Informática atua com foco na construção de novas relações com o mercado, visando criar novas conexões, que irão complementar a formação dos alunos, ampliar o leque de pesquisas e promover a transferência de tecnologias.

FONTE: Assessoria de Comunicação do CI