CI realiza colação de grau da primeira mulher concluinte de curso em educação a distância na UFPB

dezembro 9, 2016

Evanilza Rufino participou da solenidade de formatura com mais 16 formandos de Engenharia da Computação e Ciência da Computação

 

A primeira aluna da UFPB a concluir o curso de Ciência da Computação, através da modalidade de ensino a distância (EAD), recebeu, na quarta-feira, 07, o diploma de licenciatura, em solenidade de colação de grau, realizada pelo Centro de Informática (CI), no auditório da UFPB Virtual. Evanilza Rufino de Souza participou da cerimônia juntamente com mais 16 formandos dos cursos de bacharelado em Ciência da Computação e Engenharia da Computação do período 2016.1

A sessão solene foi aberta pela pró-reitora de Graduação da universidade, Ariane Menezes, que representou a reitora Margareth Diniz . A mesa de trabalho foi também integrada pelo diretor do CI, Hamilton Soares; pelo vice-diretor, Lucidio Cabral; pelos docentes Eudisley Anjos, Daniela Coelho Batista Guedes Pereira, Thais Gaudencio e Danielle Rousy. O cerimonial foi coordenado pela secretária do Centro, Lourdinha Rodrigues Cavalcanti .
O formando Gustavo Henrique, do curso de Engenharia da Computação, leu o juramento para as turmas concluintes.

foto-formatura-2016-1  foto-formatura-turmas-2016-1

O estudante Leandro Paiva, de Ciência da Computação, foi o orador. Em sua mensagem aos colegas ele lembrou alguns desafios que enfrentou ao longo da vida acadêmica, quando teve a oportunidade de fazer amigos e trabalhar em cooperação. Agradeceu o apoio dos professores e outros profissionais que contribuíram para o seu aperfeiçoamento e ressaltou que a fé e capacidade de trabalho foram determinantes para a conclusão do curso.

O prêmio “Láurea acadêmica destaque da graduação” foi concedido ao formando Anand Terto Gahadar . Essa outorga foi instituída pelo Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consuni), em 2010, e é destinada ao aluno que tenha obtido durante o curso o Coeficiente de Rendimento Escolar (CRE) igual ou superior a 8,0, que não teve reprovação por frequência ou nota e foi aprovado por média em todas as disciplinas.

O diretor Hamilton Soares saudou os recém-formados afirmando que a colação de grau é a coroação de um longo trabalho . Ele disse que, diante do quadro de evasão, com trancamento de disciplinas ou reprovação, que vem sendo registrado, chegar à etapa final é uma vitória que deve ser celebrada. Hamilton Soares assegurou que em sua gestão envidará esforços no sentido de melhorar a eficiência dos cursos de graduação, visando reduzir os índices de evasão.

foto-formatura-ci-turma-2016-1  foto-formatura-ci-2016-1

Já o vice-diretor observou que para ele é motivo de orgulho vivenciar a formatura da primeira aluna em Licenciatura em Ciência da Computação, por meio da educação a distância. Lembrou que esse momento simboliza a concretização de um projeto de universidade que foi concebido para ampliar o acesso ao ensino público e gratuito. Disse para os novos bacharéis que não tenham medo de enfrentar os desafios profissionais e nunca parem de ousar e sonhar.

As turmas escolheram como paraninfo o professor Eudisley Anjos e a professora Daniela Coelho Batista Guedes Pereira para patronesse. Ao falar para os formandos, Eudisley Anjos disse que todos deviam celebrar o momento, que é um marco na vida de todo profissional, mas que no exercício da profissão não perdessem de vista o fato de que todos têm uma missão social e que se faz necessária uma reflexão sobre como poderão contribuir para o futuro da sociedade.

A pró-reitora da Graduação fez uma análise sobre a insegurança que vive hoje a sociedade brasileira com as mudanças na política nacional e, mais recentemente, com a eleição de Donald Trump nos Estados Unidos, que vem gerando apreensão em todo o mundo. Também ressaltou que essa conjuntura aliada à disputa entre poderes que se verifica no Brasil são fatores que contribuem para a sociedade desacreditar nas instituições. Ao fazer uma referência ao quadro político nacional e internacional, conclamou os diplomados a praticarem ao máximo a ética profissional, um dos pilares para a construção de uma sociedade mais justa e plural.

FONTE: Assessoria de Comunicação do CI