Equipe do BID constata potencial do Lavid para contribuir com desenvolvimento sustentável da capital

fevereiro 10, 2017

Representantes do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) tiveram encontro, na manhã de quinta-feira, 09, com a equipe do Núcleo de Pesquisa e Extensão – Lavid do Centro de Informática (CI) para conhecer o portfólio de aplicativos e projetos de inclusão digital e social desenvolvidos pelo Lavid. Após visitar a infraestrutura do Núcleo, a equipe da instituição financeira constatou que o Lavid tem expertise para criar soluções tecnológicas que contribuam para o desenvolvimento urbano sustentável de João Pessoa.

O BID vai financiar o Plano João Pessoa Sustentável, que segue os princípios da metodologia Iniciativa Cidades Emergentes e Sustentáveis (ICES), criada pelo banco.

FOTO DA VISITA BID AO LAVID 09 FEV  FOTO VISITA DA EQUIPE DO BID 09 FEV

Acompanhadas do assessor da Prefeitura de João Pessoa, Adailson Regis, as integrantes do BID, Vanderleia Radaelli e Júlia Ambros apresentaram aos pesquisadores do Lavid as principais linhas de ação que a versão da ICES para a capital paraibana deve contemplar. Essa política de financiamento do banco nasceu em 2010 e foi concebida para cidades médias da América Latina e Caribe que registram importante dinâmica de crescimento populacional e econômico e se encontram em um estágio de desenvolvimento no qual é possível aproveitar suas economias de escala e controlar os custos da aglomeração, melhorando a eficiência dos serviços urbanos.

Segundo as representantes do BID, uma avaliação do perfil sócio-econômico de João Pessoa sugere que um dos eixos da ICES no município deve ser o fomento ao microempreendedorismo e o investimento na formação do capital humano, já que, conforme observaram, a cidade carece de capacitação massiva de mão de obra de trabalhadores menos especializados que atuam, por exemplo, no segmento de construção civil, na rede de hotelaria e restaurantes.

Outra prioridade da ICES, na visão do BID, deve ser o engajamento da força de trabalho das mulheres no mercado, seja através do emprego formal ou do empreendedorismo, de modo a reduzir os índices de exclusão do gênero feminino na atividade produtiva, além de buscar formas de combate à violência. A criação de um ambiente de inovação tecnológica mais próspero, objetivando reter o capital humano bastante especializado e, assim, evitar a evasão de excelentes quadros profissionais, deve ser outra meta do governo municipal a ser atingida com a implantação desse projeto, que agora tem o apoio do banco internacional.

FOTO VISITA BID AO LAVID 09 FEV  FOTO VISITA BID 09 FEV 17

Um eixo não menos importante e que gera autossustentabilidade social e econômica para João Pessoa, de acordo com o BID, é o desenvolvimento de soluções tecnológicas que tragam benefícios diretos para comunidades de baixa renda, envolvendo esses segmentos, direta ou indiretamente, e promovendo a geração de empregos. A equipe do banco ressaltou na reunião com o Lavid que a aplicabilidade da tecnologia é o que dá mais significado a sua criação.

Para se adequar à metodologia de trabalho estabelecida pelo BID, através da ICES, a Prefeitura desenvolveu o Plano João Pessoa Sustentável e aguarda a liberação de 100 milhões de dólares da instituição financeira para viabilizar, em cinco anos, sua proposta de desenvolvimento mais sustentável para a cidade, de modo a evitar, no futuro, conjunturas mais difíceis e soluções de alto custo.
PROJETOS DO LAVID – Durante a visita a um dos laboratórios do Núcleo Lavid, os representantes do BID e o assessor da Prefeitura foram recepcionados por alunos e pesquisadores que atuam em projetos de inovação tecnológica.

No local, eles interagiram com ferramentas computacionais que promovem acessibilidade para pessoas surdas e outras soluções que atendem demandas de grupos sociais minoritários por inclusão digital. Dentre essas inovações está o projeto Suíte VLibras, já disponível para download em todos os portais do Governo Federal e que gera conteúdos na Linguagem Brasileira de Sinais (Libras), beneficiando cerca de 10 milhões de brasileiros que têm algum grau de deficiência auditiva.

Também tiveram a oportunidade de conhecer o aplicativo que já está disponibilizado a milhares de famílias beneficiárias do Bolsa Família e inscritas no Cadastro Único do Governo Federal. Trata-se de um canal de TV com aplicações interativas que está sendo exibido para o público-alvo de Rio Verde em Goiás e da Grande Brasília, áreas onde o Governo Federal iniciou o processo de desligamento total do sinal analógico de televisão.

FOTO VISITA EQUIPE BID LAVID 09 FEV 17

No laboratório, os visitantes tiveram acesso ao projeto Fogo Player, tecnologia que possibilita a captação e transmissão de imagens em 4K, definição quatro vezes superior a da TV digital brasileira. O sistema pode ser utilizado para projeções com altíssima resolução em eventos esportivos, espetáculos e procedimentos cirúrgicos para fins de educação continuada em telemedicina. Outra particularidade do Fogo Player é que possibilita uma comunicação instantânea entre os envolvidos no evento transmitido e o público, o que reforça a importância do uso no ensino a distância.

FONTE: Assessoria de Comunicação do CI