ESTRADA DO MEDO

agosto 14, 2018

Alunos protestam contra assaltos no campus da UFPB em Mangabeira e vão à Câmara Municipal solicitar apoio

 

De terça a sexta-feira da semana passada, seis alunos da Unidade Acadêmica Lynaldo Cavalcanti, em Mangabeira, foram vítimas de assalto quando chegavam a pé ao campus da UFPB.

O aumento dos assaltos foi o estopim para uma grande mobilização dos estudantes do Centro de Informática (CI) e do Centro de Tecnologia e Desenvolvimento Regional (CTDR) , nesta segunda-feira, 13, na avenida principal de Mangabeira, em frente ao Centro de Zoonoses. Também estenderam o protesto até a Reitoria, onde foram recebidos por funcionários.

Com cartazes e palavras de ordem, eles expuseram à sociedade a vulnerabilidade em que se encontram, devido à insegurança no entorno do campus, além da falta de infraestrutura no único acesso à universidade, através de uma estrada esburacada e com pouca iluminação.

Eles repetiam em voz alta o que estava nos cartazes: ” Tem tanta insegurança que não cabe em um cartaz”, ” Eu não quero morrer” , “Asfalto, não assalto”, “Quantos assaltos valem um diploma?”.

Os manifestantes solicitam transferência do portão de entrada do campus para uma área mais próxima à parada de ônibus e também a instalação de um ponto de transporte coletivo na Avenida dos Escoteiros, além do aumento das linhas de ônibus.

 

Protesto na Câmara de Vereadores

Nesta terça-feira, 14, durante a abertura da sessão ordinária da Câmara Municipal de João Pessoa, às 9h30, os alunos voltarão a protestar, objetivando o apoio dos parlamentares, para que intercedam junto à Prefeitura, em favor da comunidade universitária, que hoje chega a cerca de 1.500 pessoas.

A direção do Centro de Informática, junto com centros acadêmicos e representantes de docentes e técnico-administrativos, já fez gestões, diversas vezes, à Reitoria, Prefeitura Universitária e Prefeitura de João Pessoa, solicitando providências para os problemas enfrentados, há vários anos, mas, até agora, as soluções não chegaram ao campus.

Mas os protestos começam a gerar ações positivas. A direção do Centro de Informática (CI) recebeu da Polícia Militar a confirmação de que vai incrementar a vigilância na área. Hoje, o capitão Julliermeson, que coordena a segurança no bairro do Bancários e adjacências, informou que aquele setor da UFPB terá mais rondas policiais com o auxílio de motopatrulhas, ações que ficaram acertadas em reunião de representantes da Polícia Militar com a direção do CI, na semana passada.

A Avenida dos Escoteiros, que também dá acesso ao Rio do Cabelo, torna difícil o tráfego de veículos até o campus, por conta dos buracos. Conhecida como uma das rotas de tráfico de drogas, recentemente, foi batizada de “Estrada do medo”.

Texto e fotos: Assessoria de Comunicação do CI