I OFICINA DE TRABALHO DO CI

dezembro 11, 2017

Diretor alerta sobre alto índice de retenção de alunos na graduação e chama para esforço conjunto em prol da melhoria da qualidade do ensino

O foco em ações que contribuam para reduzir o alto índice de retenção de alunos nos cursos de graduação do Centro de Informática (CI) deve nortear a atuação da administração, coordenações, departamentos e docentes no ano de 2018, segundo avaliou, na manhã de segunda-feira, 11, o diretor Hamilton Soares, durante palestra de abertura da I Oficina de Trabalho do CI, realizada no auditório da unidade de ensino.

Ao abordar o tema “Atribuições e competências das coordenações de cursos e chefias departamentais” ele revelou que Ciência da Computação é o curso que registra menor índice de retenção e evasão, mesmo assim, só 50 por cento concluem a graduação dentro do prazo mínimo, que é de quatro anos. Já os cursos de Matemática Computacional e Engenharia da Computação apresentam dados preocupantes, com 10 por cento e menos de 30 por cento de concluintes, por turma, respectivamente.

Ele ressaltou a importância da gestão realizada pelos professores Guido Lemos e Valéria Gonçalves, ao empreender a transição de um departamento para um centro de ensino, e conclamou a comunidade universitária para um esforço conjunto em prol da melhoria da qualidade de ensino, pesquisa e extensão, objetivando buscar alternativas para problemas cruciais como a evasão e retenção de discentes.

Após a palestra de abertura, o professor e avaliador do MEC, José Antonio Gomes de Lima, falou sobre “Avaliação Externa dos cursos de graduação”, ocasião em que esclareceu a comunidade sobre o que é o Projeto Pedagógico do Curso (PPC), Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI), como se dá o processo de avaliação pelo MEC, analisando todas as dimensões, além de autorização para abertura de um curso e renovação de reconhecimento.

A I Oficina de Trabalho será realizada até a próxima quarta-feira, 13, e vai definir as ações administrativas, acadêmicas e institucionais para o ano de 2018. A iniciativa é da direção do CI e partiu de uma propositura apresentada pela professora Danielle Rousy e aprovada pelo Conselho de Centro, em 06 de outubro.

Visando assegurar bons resultados, a metodologia da I Oficina de Trabalho dividirá os participantes em quatro grupos de discussão. O GT dos diretórios acadêmicos será integrado por representantes dos alunos e vice-coordenadores dos cursos de graduação. Fará parte do GT administrativo o diretor e vice-diretor do CI, assessores da direção, chefes de departamentos, secretária do CI, secretários dos departamentos.

O GT da graduação terá como participantes os coordenadores dos cursos de graduação, membros dos colegiados dos cursos, membros do NDE, docentes que ministram disciplinas, secretários dos cursos, bibliotecário e diretórios acadêmicos. O GT da pós-graduação contará com a presença dos coordenadores e vice-coordenadores dos programas de pós-graduação, membros dos colegiados de cursos, grupos de pesquisa, secretários dos programas.

O GT dos diretórios acadêmicos abordará temas como a integração dos alunos e professores, participação efetiva do aluno na vida universitária, relação professor / aluno, qualidade da vida estudantil, participação de alunos em publicações científicas e técnicas, além da participação dos discentes em projetos de pesquisa e extensão.

Os temas previstos para discussão no GT administrativo são a identidade do CI, relações com os setores público e produtivo e mercado de trabalho, capacidade de captação de recursos, formação acadêmica e profissional dos docentes, situação na carreira docente, programas e políticas de capacitação, compromisso com o ensino, pesquisa e extensão, distribuição de encargos docentes.

O GT da graduação vai tratar da integração dos alunos e professores, a participação dos alunos na vida universitária, o número de ingressantes, taxas de evasão/abandono, tempo médio de conclusão de curso, alunos concluintes, relação professor /aluno e qualidade da vida estudantil.

No que se refere à pós-graduação, o GT dedicado a esse tema discutirá temas comuns ao GT da graduação, além de questões como a infraestrutura, principalmente no tocante a salas de aula, laboratórios, biblioteca, restaurante, áreas de lazer e transporte.

As questões relativas aos servidores técnico-administrativos serão debatidas pelo GT administrativo. A pauta inclui temas como formação profissional, situação na carreira, programas/políticas de capacitação e desenvolvimento profissional, compromisso com a distribuição de encargos e adesão aos princípios fundamentais da instituição.

A comissão organizadora da I Oficina de Trabalho do CI é integrada pelos professores Danielle Rousy, Gustavo Peixoto de Oliveira e pela secretária do Centro, Lourdinha Rodrigues Cavalcanti.

PROGRAMAÇÃO

Às 14h, a pró-reitora adjunta de Graduação, Ana Aldrigue, falará de questões relacionadas ao ensino da graduação no CI, notadamente sobre ingresso, evasão, retenção e conclusão de curso. Às 15h30, os grupos de trabalho iniciam suas atividades.

A programação para o segundo dia da oficina será iniciada com uma palestra do administrador Harrison Emmanuel, coordenador da CDP/PROGEP/UFPB, sobre dados referentes a servidores técnico-administrativos. Das 10h30 às 11h30, os GTs voltam a se reunir e no turno da tarde retomam as discussões.

Dia 13, a oficina será encerrada ao meio-dia, estando programada uma confraternização entre os participantes dos GTs, no horário do almoço.

FONTE: Assessoria de Comunicação do CI