COMPOSE

Criado em março de 2005, o Laboratório COMPOSE (Component Oriented Software Engineering) é um grupo de pesquisa e desenvolvimento ligado ao Departamento de Informática (DI) da Universidade Federal da Paraíba (UFPB). O grupo desenvolve atividades nas áreas de Engenharia de Software, Sistemas Distribuídos e Inteligência Computacional. Em Engenharia de Software, as atividades são concentradas em temas relacionados a Reuso de Software, Desenvolvimento Baseado em Componentes, Arquitetura Orientada a Serviços, Linhas de Produtos de Software, Engenharia de Software Baseada em Buscas, Gerenciamento e Planejamento de Projetos de Software, e Engenharia de Software para Cidades Inteligentes. Em Sistemas Distribuídos, as atividades são focadas em Middleware para Dispositivos Móveis e Plataformas Distribuídas para Cidades Inteligentes. Por fim, em Inteligência Computacional, as atividades visam a adoção de Metaheurísticas, Ontologias e Lógica Fuzzy para solucionar problemas inerentes ao ciclo de vida dos processos de desenvolvimento de software. Desde 2009, juntamente com diversas instituições do Nordeste, o grupo coordena a participação da UFPB no Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para Engenharia de Software (INCT-INES), projeto financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), sob a coordenação geral da Universidade Federal de Pernambuco, cujo foco atual é o desenvolvimento de teorias, ferramentas, técnicas, aplicações, serviços e plataformas para Cidades Inteligentes. Coordenação: Gledson Elias

Hefesto

A HEFESTO atua nas áreas de computação voltada para criação e manutenção de software e hardware em geral. A fábrica de software/hardware visa atuar onde os alunos possam colocar em prática as os assuntos abordados nas disciplinas. A HEFESTO busca realizar palestras, pesquisas, desenvolvimento e extensão nas diversas áreas da computação. O portfólio inicial está sendo desenvolvido através de projetos para uso no próprio campus universitário para em seguida iniciarmos parcerias com empresas dos diversos setores para o desenvolvimento de software e hardware. Coordenador: Eudisley Anjos.   Vice-Coordenador: Danielle Rousy

O LaMEP – Laboratório de Modelagem em Engenharia de Petróleo – foi criado em 2016 com o objetivo de desenvolver pesquisa aplicada ao segmento de petróleo e gás através da interface entre modelagem matemática e ciências computacionais. As linhas de pesquisa do grupo cobrem temas multidisciplinares de interesse, tais como caracterização de reservatórios, petrofísica digital, processamento de imagens, dinâmica dos fluidos computacional multifásica, análise de dados para o petróleo, sistemas inteligentes e métodos de recuperação avançada de petróleo. Seus integrantes são pesquisadores e estudantes cuja formação coaduna matemática, física, computação e variadas engenharias. O laboratório é reconhecido como unidade de pesquisa pelo CNPq e credenciado pela Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis – ANP. Seguindo um processo de gestão pelos pilares PDI&T (pesquisa, desenvolvimento, inovação e transferência de tecnologia), agrega parceiros e colaboradores científicos da academia e indústria em seu portfolio de cooperações tanto no Brasil, quanto no exterior, entre os quais podemos citar: UFSC, UFRJ, UFSCAR, UFPE, UFPA, Ecole Polytechnique Fédérale de Lausanne (Suíça), Sapienza Università di Roma (Itália), como universidades; e Petrobras, Petrosynergy, CMGL, Paradigm-Emerson, como empresas. Coordenação: Gustavo Peixoto de Oliveira e Moisés Dantas dos Santos

Saiba mais sobre o LaMEP em lamep.ci.ufpb.br

LaR

Criado em 2014, o Laboratório de Redes – LaR – está vinculado ao Departamento de Sistemas de Computação. O LaR tem como principal atuação a área de redes de comunicação, com destaque para as áreas de segurança em redes, redes sem fio e redes definidas por software (SDN). Possui colaboração com várias universidades e institutos de pesquisa do Brasil e do exterior, como por exemplo, UNICAMP, UFCG, UFES, UTM-Espanha, Fortiss-Alemanha, IT-IST-Portugal, TUM-Munique, dentre outros. Tem desenvolvido diversos projetos financiados pelo CNPq, CAPES, FAPESP, RNP e tem como colaboradores empresas como Petrobrás, Alpargatas, Guaraves e Intelliway. Além da publicação de artigos em conferências e periódicos do IEEE, Elsevier, ACM, Springer, dentre outros, o LaR também tem incentivado o empreendedorismo, por meio da criação de startups, como por exemplo, a Actions Security. Coordenação: Iguatemi E. Fonseca e Vivek Nigam

O LARQSS – Laboratório de Arquitetura  e Sistemas de Software – é um grupo de pesquisa e desenvolvimento criado no ano de 2004 pelo professor Gustavo Henrique Matos e está integrado ao Departamento de Informática (DI) da Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Suas principais linhas de pesquisa envolvem as áreas de Segurança Computacional e Informática Médica.

Criado em 2013, o Laboratório de Engenharia de Sistemas e Robótica – LASER – está integrado ao Centro de Informática (CI) da Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Localizado nas instalações da unidade de Mangabeira do Campus I da UFPB, o laboratório surgiu da proposta de desenvolver projetos de pesquisa em hardware e software voltados às áreas de Robótica, Sistemas Embarcados e Inteligência Artificial. Em 2018, o laboratório expandiu sua área de atuação, acrescentando as áreas de Logística, Transporte e Otimização, se destacando por projeto de excelência nessas áreas e também nas áreas de Veículos Aéreos não Tripulados (Drones) e Robótica. O LASER também é um ponto de presença de empresas, que possuem laboratórios integrados ao LASER para o desenvolvimento de pesquisa aplicada, inovação e formação de recursos humanos. O LASER conta com a colaboração de mais de 70 jovens pesquisadores, entre doutores, estudantes de mestrado e graduação, todos em colaboração com grupos de pesquisa nacionais (como UFBA, UFCG e UFRN) e internacionais (de países como Portugal, Alemanha, Itália e República Tcheca), trazendo as atuais tendências tecnológicas mundiais nas suas áreas de pesquisa. O laboratório conta com um espaço físico de aproximadamente 1.000 m2, incluindo uma área de aproximadamente 400m2 apenas para testes com drones em ambientes fechados. Além do espaço físico, o LASER desenvolve um modelo próprio de VANT tipo Asa Fixa, tendo 4 aeronaves atualmente disponíveis, possui também 6 robôs TurtleBots 2 adquiridos pelo programa CAPES Pró-Equipamentos 2013, dois quadricópteros, além de computadores de alto poder de processamento. Coordenadores: Alisson Brito, Tiago Nascimento

O LASIC – Laboratório de Arquitetura, Sistemas Integráveis e Circuitos – foi iniciado em 1993 e tem implantado uma sólida base de ensino e pesquisa voltada para o projeto de sistemas digitais integráveis, com especial ênfase nas telecomunicações e redes. Tendo sediado projetos de cooperação multiinstitucionais nacionais (RHAE-ITEEL-Microeletrônica, PROTEM-CC fase II- COMATM) e internacionais (CAPES-COFECUB- Redes e Integração de Circuitos), o LASIC foi o primeiro laboratório do Nordeste (dentre os primeiros no Brasil) a adotar plataforma de desenvolvimento de hardware a partir da linguagem VHDL.  O maior foco atual do LASIC é prover infraestrutura para incubação de empresas de projeto eletrônico, prototipagem e software, com vistas a fixar toda a mente-de-obra que forma e repatriar a que já exportou.

O LASID – Laboratório de Sistemas Digitais – é coordenado pelos professores Dr. José Antônio Gomes de Lima e Dr. Leonardo Vidal Batista, tem a proposta de realizar pesquisas em desenvolvimento de hardware, sistemas embarcados e processamento de sinais. Atuando desde 1994, o LASID também está ligado ao Programa de Pós Graduação em Informática (PPGI) da UFPB e já participou de diversos projetos, ganhando conhecimento, experiência e infra-estrutura, permitindo hoje o desenvolvimento de vários tipos de sistemas envolvendo diversos elementos tais como: linguagens de descrição de hardware com prototipação em FPGA, redes de sensores sem fio, processamento de imagens para diagnóstico médico, entre outros.

Fundado em 2003, pelo professor Guido Lemos de Souza Filho, o NPE- LAVID surgiu da proposta de desenvolver projetos de pesquisa e desenvolvimento em hardware e software voltados para plataformas de sistemas e aplicações multimídia. Atualmente, o LAVID possui 18 pesquisadores docentes credenciados, mais de 150 alunos pesquisadores e 9 patentes registradas nas suas áreas de atuação. Criou, junto com o Telemídia da PUC-Rio, o middleware Ginga, padrão de TV Digital presente em 13 países e disponível para 500 milhões de pessoas.

O grupo recebeu o Prêmio Trip Transformadores (Editora Trip) e o Prêmio Demoiselle Cooperação Internacional em 2010 pelas contribuições na área de TV Digital. O projeto Brasil 4D (realizado em conjunto com a EBC – Empresa Brasil de Comunicação) recebeu o Prêmio da Sociedade de Engenharia de Televisão (SET), na área de Interatividade, nos anos de 2013 e 2014. Nessa área o laboratório também foi contemplado pelo prêmio Fundo Regional para a Inovação Digital na América Latina e o Caribe (Frida), a categoria Criação e Desenvolvimento de Capacidades e Conteúdos para o Desenvolvimento Humano Sustentável, em 2014.

Em 2016, o projeto VLibras conquistou o Prêmio Nacional de Acessibilidade na Web (Todos@Web, organizado pelo Centro de Estudos sobre Tecnologias Web, CGI.Br e NIC.br.) na Categoria de Aplicativos/Tecnologia Assistiva. Já em 2018 o projeto Vlibras foi contemplado pelo premio “LATAM Smart City Awards″ na categoria “Sociedade Equitativa e Colaborativa” O aplicativo VLibras, está disponível para download em todos os portais do Governo Federal e nas principais lojas de aplicativos móveis, tais ferramentas permitem a geração conteúdos na Linguagem Brasileira de Sinais (Libras), beneficiando cerca de 10 milhões de brasileiros que têm algum grau de deficiência auditiva.

Em relação à transferência de tecnologia, a partir de ex-integrantes da equipe do NPE-LAVID já foram criadas 02 empresas na área de desenvolvimento de aplicações móveis e jogos (Fuze.CC e YupiStudios), 3 empresas na área de sistemas de distribuição multimídia (Dynavideo, Overmedia e MEdia4ALL Digital Solutions) , 01 empresa na área de sistemas embarcados (MOPA Embedded Systems) e 01 empresa na área de tecnologias assistivas (Assista Tecnologia). Tais empresas têm atuação nacional e internacional.

Coordenação: GUIDO LEMOS DE SOUZA FILHO E RAONI KULESZA

LIAA – LABORATÓRIO DE INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL APLICADA

O Laboratório de Inteligência Artificial Aplicada – LIAA – do CI/UFPB foi criado em 2013 pelos professores Natasha Correia Queiroz Lino, Coordenadora (Ph.D, University of Edinburgh/UK) e Clauirton de Albuquerque Siebra, Vice-coordenador (Ph.D, University of Edinburgh/UK) com o objetivo de investigar a aplicação de técnicas da Inteligência Artificial à solução de problemas em diferentes domínios do conhecimento, tais como, Informática em Saúde, Cidades Inteligentes, TV Digital Interativa, etc. Alguns projetos de pesquisa desenvolvidos no LIAA são descritos a seguir.

Na área da Informática em Saúde, atualmente o LIAA vem desenvolvendo pesquisa em Suporte à Decisão Clínica no domínio da Doença Renal Crônica, em colaboração com pesquisadores e especialistas nefrologistas. No âmbito de Cidades Inteligentes (Smart Cities) investiga-se no LIAA, dentre outras, a questão de Transportes Inteligentes e Eficiência Energética. Esta pesquisa tem colaboração de pesquisadores do Departamento de Engenharia Mecânica da UFPB e do Instituto Nacional de Engenharia de Software (INES).

A pesquisa em TV Digital Interativa (TVDI) foi desenvolvida em colaboração com o Lavid da UFPB na criação de serviços sofisticados de recomendação e consulta de conteúdo, explorando a interatividade em TVDI.

Coordenação: Natasha Queiroz e Clauirton Siebra

O LMI – Laboratório de Medidas e Instrumentação -, vinculado ao Centro de Informática da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), foi criado em 2014 com o intuito de desenvolver pesquisas na área de eletrônica, microeletrônica aplicadas no uso de sensores e atuadores. Fazem parte do escopo das pesquisas desenvolver novos sensores bem como aplicações ligadas aos conceitos: smart-home, tecnologia assistiva, reabilitação virtual e monitoramento remoto. Coordenadores: Prof. Dr. Ruy Alberto Pisani Altafim e Prof. Dr. Mardson Freitas de Amotim.

O Grupo de Inovação e Inclusão Profissional – I2 – é um projeto de Extensão do Laboratório de Computação Ubíqua e Móvel – Lumo, que tem como um de seus objetivos a colaboração na inclusão dos alunos em projetos desenvolvidos pelos diversos laboratórios do Centro de Informática.

Percebemos que boa parte dos alunos do CI não possuem conhecimento de como funcionam os laboratórios, suas linhas de pesquisa e quais os projetos em execução. Também temos ciência de que muitos destes laboratórios possuem escassez de mão de obra, muitas vezes voluntária, para desenvolvimento dos projetos. Por outro lado, diversos alunos estão à espera de uma oportunidade para aprender e praticar os conhecimentos vistos em sala.

Nesta primeira etapa, estamos mapeando os laboratórios do CI e possivelmente de outros centros, bem como quais projetos estão sendo desenvolvidos por eles, sejam de Ensino, Pesquisa, Extensão ou Tutoria. A ideia é que com isso possamos divulgá-los aos alunos, bem como quais tecnologias estão sendo usadas em seu desenvolvimento a fim de conectarmos pessoas dispostas a aprenderem um determinado assunto com àqueles que já o dominam.

Futuramente, em nosso sistema Web I2, estaremos abrindo um cadastro geral dos alunos do CI para que possamos levantar as tecnologias dominadas por eles e as de interesse em aprendizado. Desta maneira, quando um laboratório precisar de mão de obra específica, ou precisar treinar alguém disposto a aprender, basta consultar a base do I2.

Coordenação: Eudisley Anjos
email: i2@lumo.ci.ufpb.br