Lugar de mulher é também na Informática

maio 20, 2019

Revista da Fapesq/SP destaca projeto MENINAS NA COMPUTAÇÃO do CI/UFPB

A revista da Fapesq, a Fundação de Amparo à Pesquisa de São Paulo, traz, em sua nova edição, diversas iniciativas que estimulam meninas a explorarem as áreas de tecnologia, programação e empreendedorismo no Brasil, destacando o projeto MENINAS NA COMPUTAÇÃO, realizado, há cinco anos, por uma equipe do Centro de Informática (CI) da UFPB.

Coordenado pelas professoras Josilene Aires Moreira e Giorgia De Oliveira Mattos , o projeto ensina os primeiros passos da robótica a jovens meninas do ensino médio, em escolas públicas de João Pessoa. A finalidade é estimula-las a ingressarem nos cursos de graduação da área de Informática e promover a inclusão digital, fomentando a iniciação no universo da computação.

A equipe da revista da Fapesq conversou com a professora Josilene Aires Moreira , que teve sua entrevista publicada na reportagem intitulada “A retomada do espaço da mulher na computação”.

Veja aqui a reprodução da entrevista:

“Também a Universidade Federal da Paraíba (UFPB), em João Pessoa, há algum tempo desenvolve seu projeto, chamado Meninas na Computação. “Desde 2014 realizamos oficinas de programação e robótica, desenvolvimento de aplicativos, visitas aos laboratórios da universidade, debates e palestras sobre equidade de gênero nas áreas Stem em escolas públicas da região”, conta a cientista da computação Josilene Aires Moreira, do Centro de Informática da UFPB e coordenadora do projeto. Ela destaca que 65% dos 1.866 frequentadores de cursos Stem na instituição são homens. “Em 2018, no curso de bacharelado em ciência da computação da UFPB, apenas 10% dos alunos eram mulheres. Na engenharia computacional, 17%.”

O que é a revista da Fapesq

A revista é de três universidades paulistas: USP, Unicamp e Unesp. Trata-se da única publicação jornalística do país especializada no segmento de ciência e tecnologia que tem por foco primordial a produção científica nacional, apesar de cobrir pontualmente as novidades internacionais. Por isso, a revista funciona como um polo de contato e reconhecimento contínuo dos pesquisadores brasileiros e como referência indispensável para as editorias de ciência e tecnologia dos veículos de comunicação nacionais.

Link para a reportagem: A retomada do espaço da mulher na computação

Revista na íntegra.

FONTE: Assessoria de Comunicação do CI