Obras do acesso ao campus de Mangabeira serão concluídas até 15 de outubro

outubro 1, 2018

Tráfego de veículos será liberado somente em novembro

 

As obras de pavimentação da Avenida dos Escoteiros e da rua Professor José Maria Barbosa Gomes, vias que contornam o campus de Mangabeira, estão bastante adiantadas e, segundo Fábio Tabosa, representante da construtora Antunes, se faz necessário aguardar alguns dias antes da liberação do trecho para a passagem de veículos de pequeno e grande portes.

Segundo o encarregado da empresa, após a conclusão da obra, as duas vias ficarão interditadas para que o processo de secagem se dê com total segurança. Conforme assegurou, a circulação de veículos, antes desse prazo, poderá comprometer a qualidade do trabalho realizado.

Os carros e motos deverão continuar trafegando, através do desvio criado pela lateral da empresa Contax, com entrada no campus pelo portão que fica ao lado do Centro de Tecnologia e Desenvolvimento Regional (CTDR).

 

VITÓRIA DA MOBILIZAÇÃO ESTUDANTIL

A precariedade no acesso ao campus de Mangabeira vinha gerando transtornos à comunidade universitária, desde que a unidade acadêmica Lynaldo Cavalcanti foi inaugurada.

A falta de pavimentação desencadeou uma onda de assaltos a estudantes, nos últimos meses, visto que as empresas de transporte coletivo não circulam nas ruas, quase intransitáveis, e os alunos são obrigados a pegar ônibus em paradas um pouco distantes do campus. Com muita frequência eram registrados assaltos a alunos, quando esses se encontravam nos pontos à espera do transporte coletivo.

Em agosto, mais de 10 estudantes foram alvo da ação de bandidos na área, o que gerou uma onda de protestos, obtendo grande repercussão na imprensa e o apoio dos vereadores Marcos Henriques (PT), Sandra Marrocos (PSB), Humberto Pontes (Avante) e Fernando Milanez.

Os diálogos e negociações da Reitoria da UFPB com a Prefeitura de João Pessoa, com vistas à pavimentação do trecho, não avançavam. Com a intensificação dos protestos estudantis a Prefeitura da capital anunciou, em setembro, através da Secretaria do Orçamento Participativo Municipal e da Secretaria de Infraestrutura, que iria viabilizar a demanda da instituição de ensino.

Texto e fotos: Assessoria de Comunicação do CI