Pesquisador apresenta novo sistema de combate a ataques cibernéticos em palestra no CI

abril 11, 2017

Os ataques cibernéticos aos sistemas de empresas, organizações e instituições governamentais revelam um nível de sofisticação cada vez mais elevado e exigem soluções avançadas de proteção. Um dos mecanismos para deter esses “inimigos invisíveis” foi apresentado, na manhã de segunda-feira, 10, à comunidade do Centro de Informática (CI), pelo professor Michel Machado, pesquisador visitante do Departamento de Ciência da Computação da Universidade de Boston, nos Estados Unidos.

Na instituição americana, ele vem trabalhando em equipe em um projeto de pesquisa chamado Gatekeeper, cuja ideia principal é a junção e aprimoramento de dois sistemas de proteção a ataques à internet, combinando network capabilities and filtering systems. Em sua palestra, o pesquisador abordou o tema “A Deployable DDoS Protection System with the Strenghths of Capabilities and Filtering Systems”.

Segundo o palestrante, os dois sistemas de segurança vêm evoluindo, há cerca de 15 anos, mas um dos diferenciais do estágio atual da pesquisa desenvolvida em Boston é justamente a eficácia que a união de ambos vem demonstrando no combate a um dos tipos de ataque mais comuns: o DDoS, Denial of Service, em inglês.

 

O ataque do tipo DDoS, conhecido como ataque de negação de serviço, é uma tentativa de fazer com que aconteça uma sobrecarga em um servidor ou computador comum para que recursos do sistema fiquem indisponíveis aos utilizadores. Na prática, acontece quando um hacker, usando o computador mestre, faz com que vários computadores acessem aquele site, ao mesmo tempo, sobrecarregando o sistema. Em consequência, o site ou o serviço saem do ar.

Michel Machado explicou que essa forma de ataque não rouba informação do site, mas atua impedindo o acesso a ele. Conforme observou, há vários registros, na imprensa mundial, relatando prejuízos causados a governos e empresas, com fins políticos e comerciais, por meio do uso dessa modalidade de ataque cibernético.

O pesquisador, de nacionalidade brasileira, mas radicado nos Estados Unidos, espera concluir a fase experimental da pesquisa até o final do ano. Ele revelou que a solução tecnológica já foi apresentada a várias empresas no Brasil e no exterior e que algumas companhias demonstraram interesse em adquiri-la, com o intuito de incrementar os seus sistemas de segurança.

Durante o encontro com professores e alunos do CI, Michel Machado disse que a Universidade de Boston é uma instituição aberta ao intercâmbio técnico-científico com a UFPB e que vislumbra possibilidades de cooperação com grupos de pesquisa do CI.

Em sua visita à unidade de ensino, Michel Machado esteve acompanhado do vice-diretor do CI, Lucídio Cabral, e do presidente da Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado da Paraíba (Fapesq), Cláudio Furtado.

FONTE: Assessoria de Comunicação do CI