O que é a Extensão?

A extensão é um processo educativo, cultural e científico promovido por universidades para estabelecer uma relação com outros segmentos da sociedade. É um modo de a universidade realizar e participar, em conjunto com outros setores da sociedade, de programas e projetos que promovam o desenvolvimento regional e sociocultural.

Quais os tipos de ações extensionistas?

  • Cursos, palestras e conferências;
  • Cursos de ensino a distância;
  • Cursos de verão, ou sazonais;
  • Viagens de estudo;
  • Ações Cívico-Sociais;
  • Apresentações musicais, teatrais e feiras;
  • Campanhas orientativas e assistenciais;
  • Programas e eventos culturais e esportivos.

Como participar das ações extensionistas?

Para participar das ações extensionistas como bolsista o aluno deve aguardar o período de seleção e se inscrever de acordo com as normas especificadas no edital, caso queira ser voluntário, ele pode procurar um docente extensionista vinculado ao projeto desejado para discutir as possibilidades e requisitos para unir-se a equipe deste.

Quem pode participar das ações extensionistas?

Discentes, docentes e servidores técnicos.

Quais as vantagens da extensão?

  1. Difusão e socialização do conhecimento detido pela área de ensino;
  2. Difusão e socialização dos novos conhecimentos produzidos pela área de pesquisa;
  3. Conhecimento da realidade da comunidade em que a universidade está inserida;
  4. Possibilidade de diagnosticar necessidades de pesquisas e outras ações;
  5. Prestação de serviços e assistência à comunidade;
  6. Fornecimento de subsídios para o aprimoramento curricular e criação de novos cursos;
  7. Fornecimento de subsídios para o aprimoramento da estrutura e diretrizes da própria universidade na busca da qualidade;
  8. Facilita a integração ensino-pesquisa-extensão;
  9. Possibilita a integração universidade-comunidade;
  10. Possibilita a comunidade universitária conhecer a problemática nacional e atuar na busca de soluções plausíveis.

Assessoria de Extensão do Centro de Informática

  • Assessor(a) de Extensão: José Miguel Aroztegui Massera (jose.miguel@ci.ufpb.br)
  • Bolsista da Assessoria: Gregory Filipe Lira da Silva (gregorysilva@mat.ci.ufpb.br)
  • E-mail da assessoria: extensao@ci.ufpb.br

Links Importantes

Pró-reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários: www.prac.ufpb.br

Siga Eventos: sigeventos.ufpb.br

SigProj: sigproj1.mec.gov.br

Proex: www.proex.ufpb.br

Ações Extensionistas do Centro de Informática:

  1. Desenvolvimento de um Sistema de Apoio à Decisão do Centro de Informática (projeto SACI).

Resumo: Este projeto prevê a continuação do desenvolvimento do Sistema de Apoio à Decisão do Centro de Informática (Projeto SACI), cujo objetivo é auxiliar na tomada de decisões no contexto acadêmico. O desenvolvimento desse sistema foi iniciado no ano de 2020 por meio do projeto PROBEX PJ284-2020. O presente projeto propõe a criação de um novo módulo para o sistema, que visa automação do planejamento de horários individuais de discente, garantindo que as soluções geradas possibilitem ao discente reduzir o tempo necessário para a conclusão de seu curso. Além disso, o projeto tem como objetivo realizar melhorias ao módulo já existente no sistema, aperfeiçoando sua interface gráfica e implementando-o na prática através de uma máquina virtual já adquirida junto à Superintendência de Tecnologia da Informação.

Coordenador(a): Bruno Petrato Bruck (bruno.bruck@ci.ifpb.br).

2. UFPB no combate à COVID-19: Plataforma de Apoio ao Processo de Realização do Encontro Unificado.

Resumo: Este projeto tem como objetivo o desenvolvimento de uma plataforma de apoio a realização do encontro unificado na Universidade Federal da Paraíba. Como parte de um dos produtos produzidos a partir do laboratório piloto de desenvolvimento de sistemas, denominado de LABES, em que o estudante regularmente matriculado vivencia a prática do desenvolvimento de produtos digitais no intuito de resolver problemas reais da comunidade. Em termos extensionista, o valor do projeto se traduz em três grandes aspectos: a transmissão de tecnologia para a comunidade, a melhoria na capacitação profissional dos discentes participantes, e o atendimento por problemas reais vindo da comunidade e que necessitam de soluções computacionais que gerem impactos positivos na agilidade, na economia de recursos e em uma maior sustentabilidade dos processos automatizados. Dentro deste contexto, a proposta da plataforma visa apoiar o processo de realização do encontro unificado, auxiliando desde a organização até a computação final dos resultados dos projetos avaliados durante o evento. A ideia surgiu com o resultado obtido pelo Sisenex, desenvolvido para apoiar o encontro de extensão. Esse sistema proporcionou uma maior agilidade a organização do evento de extensão como também na avaliação e computação dos resultados finais, que ficaram disponíveis de forma imediata ao encerramento do evento, algo que não acontecia sem o uso do sistema chegando a demorar meses para a computação do resultado final. O produto tem um impacto social contemplando toda a comunidade da UFPB participante, desde servidores a discentes, e colaboradores externos, além de colaborar com os objetivos de sustentabilidade da Instituição por economia de recursos e maior agilidade e qualidade na realização dos processos institucionais. Salienta-se que todo projeto está sendo formato para execução remota, em função do momento vivido pela pandemia.

Coordenador(a): DANIELLE ROUSY DIAS RICARTE (danielle@ci.ufpb.br).

3. UFPB no combate à COVID-19: Trazendo clientes a pequenos empresários através da Internet.

Resumo: O isolamento social imposto pela pandemia do COVID-19 causou grandes impactos para os micro e pequenos empresários. Vários negócios precisaram interromper o atendimento ou se adaptar ao uso da Internet. Por isso, a criação de capacitação para este público se tornou necessária. Este projeto visa o oferecimento de um curso com mentorias para capacitação de empresários na área de empreendedorismo, com foco em Gestão e Marketing usando o ensino remoto. Ao final desta capacitação, espera-se que os empresários saibam usar as redes sociais para divulgação de seu produto ou serviço e gerir os recursos financeiros de suas empresas.

Coordenador(a): ADRIANA CARLA DAMASCENO (adriana@ci.ufpb.br).

4. Ensino remoto na pandemia e o uso de tecnologias digitais na educação básica: capacitação de professores no município de Bernardino Batista-PB

Resumo: O contexto de pandemia exigiu a adoção emergencial de tecnologias digitais nos processos de ensino aprendizagem. Pelas suas potencialidades, o uso dessas tecnologias vem contribuindo na prática educacional, entretanto essa utilização se configura como um desafio para a comunidade escolar sobretudo pelas dificuldades de acesso aos recursos e pela necessidade de formação docente. Nesse sentido, essa proposta de extensão objetiva promover formação para professores da rede básica sobre uso de tecnologias digitais, plataformas virtuais de ensino e outros recursos pedagógicos para potencializar o processo de trabalho e a qualidade do processo ensino aprendizagem de crianças e adolescentes do município de Bernardino Batista – PB. As ações serão desenvolvidas de forma remota para aproximadamente 30 docentes. Os momentos visam instrumentalizar os professores para o reconhecimento e uso de tecnologias como: jogos, plataformas virtuais e outras práticas pedagógicas para serem utilizadas no modelo de ensino remoto e potencializar o processo ensino aprendizagem. O projeto de extensão apresenta impacto e relevância social por buscar formação e qualificação de recursos humanos na educação, com potencialidade para minimizar disparidades sociais de acesso à educação nessa pandemia. Para o discente, o projeto contribuirá na sua formação profissional e cidadã. Esta proposta tem articulação com a pesquisa a partir da aplicação dos conhecimentos e produtos desenvolvidos pela equipe.

Coordenador(a): LILIANE DOS SANTOS MACHADO (liliane@di.ufpb.br).

5. Oficinas de Programação para Meninas do Ensino Médio: estimulando o interesse pela computação.

Resumo: Embora o número de mulheres que ingressam, se matriculam e concluem a graduação no Brasil seja maior do que o número de homens, a preferência dos cursos escolhidos pelo público feminino fica restrita às áreas de humanas e saúde. Já o público masculino tem preferência pelas engenharias e cursos relacionados à tecnologia, como é o caso da Computação. Na Paraíba, os cursos da área de computação oferecidos pelo Centro de Informática da UFPB em João Pessoa apresentam uma predominância masculina, sendo aproximadamente 13% de mulheres contra 87% de homens, evidenciando a baixa presença feminina e reproduzindo as relações de gênero que são características das áreas de ciências exatas e tecnologia. Dentre as várias dificuldades apontadas pelas alunas para o ingresso de mulheres na área de Computação está o fato de que, em geral, elas não se sentem aptas nem capazes de lidar com a tecnologia. Sendo assim, este projeto pretende atuar na educação de jovens alunas do ensino médio promovendo, através de oficinas práticas de programação, o contato básico com a tecnologia, através do desenvolvimento do raciocínio lógico e conceitos de programação de computadores. Através de um contato real com a área de programação, o projeto objetiva ser um agente transformador que atraia a atenção das alunas do ensino médio, possibilitando que elas possam conhecer de forma mais abrangente a carreira de computação, antes das suas escolhas para o vestibular.

Coordenador(a): GIORGIA DE OLIVEIRA MATTOS (giorgia@ci.ufpb.br).

6. Promoção da Igualdade de Gênero através da Inserção de Alunas do Ensino Médio na Engenharia e Computação.

Resumo: Embora diversas iniciativas estejam em andamento para estimular o ingresso de mulheres nas áreas de STEM, elas ainda são minoria no Brasil e no mundo. Esta proposta tem como objetivo promover o empoderamento feminino através da igualdade de gênero na Ciência e Tecnologia, mais especificamente na Computação. Serão desenvolvidas ações estratégicas que incluem a conscientização das desigualdades de gênero nas profissões, oficinas práticas e minicursos de capacitação em informática, apresentações sobre os cursos do Centro de Informática da UFPB e debates entre as alunas e mulheres que obtiveram sucesso nestas profissões (role models). Três escolas estaduais de ensino médio serão incluídas no projeto, com as quais o grupo Meninas na Computação vem trabalhando desde 2014, alcançando cerca de 300 alunas. As atividades serão desenvolvidas remotamente, enquanto perdurar a pandemia do Covid-19.

Coordenador(a): JOSILENE AIRES MOREIRA (josilene@ci.ufpb.br).